jusbrasil.com.br
16 de Dezembro de 2017

[Enquete] Qual o melhor cenário político perante as últimas delações?

Com as novas delações envolvendo o presidente Michel Temer, qual o melhor cenário político para nossa presidência?

Jusbrasil Perguntas e Respostas
há 7 meses

Com as novas delações envolvendo o presidente Michel Temer, queremos propor um debate respeitoso e fundamentado (como os jusbrasileiros sempre o fazem) sobre a melhor opção para o futuro da presidência.

Cenário 1: Temer continua como Presidente até 2018, mesmo diante das acusações e cenário político atual. Em contrapartida, a economia seguiria se recuperando (de acordo com os números divulgados pelo Governo Federal) e em 2018 teremos a oportunidade de nós mesmos escolhermos o Presidente da Republica;

Cenário 2: Temer renuncia ou sofre impeachment, o Presidente da Câmara assume temporariamente e em 30 dias convocará uma eleição indireta. Traduzindo, o poder de escolha do nosso Presidente estará nas mãos do Congresso Nacional;

Cenário 3: Antecipação de eleições diretas, mesmo que isso demande um tempo muito maior pois precisamos de uma PEC para aprovar o pleito. Enquanto isso, Rodrigo Maia, mesmo sendo alvo da Lava Jato ficaria na Presidência da República até as eleições.

Cenário 4: Enxerga outro cenário? Então deixe seu comentário abaixo!

Enquete Qual o melhor cenrio poltico perante as ltimas delaes

A sua opinião é muito importante para o futuro do país, não deixe de comentar!

Gostaria de ver mais opiniões? Recomende este documento para que ele chegue a mais pessoas.

O Brasil agradece!

74 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Temer renuncia (alternativa única) e elege-se alguém com capacidade de liderança que certamente será do PMDB mas que possa dar seguimento às mudanças importantes que estavam em pauta, como a reforma trabalhista e previdenciária, porque não acredito que Temer consiga recuperar o prestígio perdido junto ao congresso (cenário 1). No cenário 2 o impeachment pode se arrastar por tempo longo demais ou não acontecer, o que seria desastroso.
Quanto as eleições diretas, (cenário 3) neste momento seria um circo completo. continuar lendo

Penso exatamente o contrário, pois sou contra a mudança! continuar lendo

Cenário 4, não comentado na mídia: Cassação da chapa Dilma-Temer pelo TSE se a cassação ocorrer a menos de 6 meses para o término do mandato. Nesse caso haverá novas eleições, sem precisar da PEC, já que Código Eleitoral disposto nos arts 214 a 224 prevê essa possibilidade. Segue artigo 224:

Art. 224. Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.

§ 1º Se o Tribunal Regional na área de sua competência, deixar de cumprir o disposto neste artigo, o Procurador Regional levará o fato ao conhecimento do Procurador Geral, que providenciará junto ao Tribunal Superior para que seja marcada imediatamente nova eleição.

§ 2º Ocorrendo qualquer dos casos previstos neste capítulo o Ministério Público promoverá, imediatamente a punição dos culpados.

§ 3o A decisão da Justiça Eleitoral que importe o indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidato eleito em pleito MAJORITÁRIO acarreta, após o trânsito em julgado, a REALIZAÇÃO de NOVAS ELEIÇÕES, INDEPENDENTEMENTE do número de VOTOS ANULADOS. (Incluído pela Lei nº 13.165, de 2015)

§ 4o A eleição a que se refere o § 3o correrá a expensas da Justiça Eleitoral e será: (Incluído pela Lei nº 13.165, de 2015)

I - indireta, se a vacância do cargo ocorrer a menos de SEIS MESES DO FINAL DO MANDATO; (Incluído pela Lei nº 13.165, de 2015)

II - direta, nos demais casos. (Incluído pela Lei nº 13.165, de 2015)

(Enfatizado termos em letra maiúscula). continuar lendo

Sigo totalmente a opinião do mestre José Roberto. Não há saída para Temer. O país não pode ficar refém de políticos corruptos a pretexto de salvar a economia. É só essa corja sair do poder e o país se recupera. Com aqueles que compactuaram com a ladroagem comandando a economia continuaremos aos trancos e barrancos, como sempre aconteceu. continuar lendo

Procurador Janot disse em março de 2016 que a Organização Criminosa não existiria se não tivesse Lula no comando (Nos Eua ele é conhecido como Official 1 e Dilma como Official 2). Temer foi escolhido duas vezes como vice justamente para comandar a maioria do PMDB e dar aval ao projeto de poder petista.
Eu enxergo Temer como uma extensão do governo Dilma, logo, acho que deve ser cassado pelo TSE e se proceder eleições indiretas.
Impeachment não passará e renúncia é improvável.
Eleições indiretas é o melhor caminho nesse momento, pois se pode escolher um nome de fora que tenha mais credibilidade. continuar lendo

Roberto Ferreira de Macedo, não entendi... Eleições indiretas sem o Temer sofrer impeachment ou renunciar? Como? continuar lendo

Julio Alessio, boa noite.
Independentemente da forma como o Temer sair (renúncia, impeachment, cassação da chapa Dilma-Temer pelo TSE), deve-se seguir o que a Constituição Federal determina e se realizar nova eleição de maneira indireta. Esse entendimento baseia-se no princípio de que a Constituição prevalece sobre qualquer lei infraconstitucional. continuar lendo

Julio.
Parágrafo 1º

Art. 81. Vagando os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, far-se-á eleição noventa dias depois de aberta a última vaga.

§ 1º - Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do período presidencial, a eleição para ambos os cargos será feita trinta dias depois da última vaga, pelo Congresso Nacional, na forma da lei.

§ 2º - Em qualquer dos casos, os eleitos deverão completar o período de seus antecessores. continuar lendo

Julio:
A chapa Dilma/Temer pode vir a ser cassada.
É uma alternativa de solução para o momento. continuar lendo

É prematuro falar em renúncia ou em impedimento. Por ora o que se ouviu foi um texto desconexo de um empresário que deve muito ao BNDES, Lula, Dilma e PT.

Não existe nada, absolutamente nada de comprometedor na gravação apresentada.

Ouvi apenas um empresário confessando suas canalhices e tentando pescar algo de comprometedor para pagar sua dívida com Lula e Dilma.

-Estou de bem com o Eduardo......
- Tem que manter isso viu.....

Onde está o crime ou o aval?

No contexto da conversa é notório que o empresário canalha estava buscando algo para comprometer ao Temer.

Tenho comigo que foi uma ação orquestrada e apresentada justamente na hora em que o país estava apresentando sinais de recuperação.

Enfim, o tempo nos dirá a verdade.

Por ora o sócio da JBS apenas pagou parte de sua dívida para com o BNDES, Lula e Dilma. continuar lendo

Sim, claro!

A Friboi é do filho do Lula e o Aécio pediu dinheiro ao filho do Lula (não sendo montagem, sua teoria da conspiração é sem lógica nenhuma). continuar lendo

Também tive essa sensação de ação orquestrada.
Mas, o presidente de um país ouvir confissões de um conhecido corrupto e não tomar nenhuma providência, não dá para passar despercebido.
Discordo completamente da liberdade que ele agora usufrui, porque sua dívida com o Brasil é infinitamente maior. Isso sim, me cheira mal. continuar lendo

Enquanto ele confessava o Presidente da República confirmava e endossava todas as práticas. Nada de mais isso, né? continuar lendo

''Onde está o crime ou o aval?''

Meu caro, você mesmo tipificou a conduta do nosso presidente, mas não percebeu.

O crime está justamente na omissão. O chefe do nosso executivo toma nota de que há um crime em vias de ser consumado e simplesmente se omite quanto a tal conduta, tipificando o crime de prevaricação (Art. 319 do CP). Você não consegue enxergar isso, pois procura uma atitude comissiva, o que realmente não houve, pelo menos não nessa parte do áudio, mas que também é desnecessária para tipificar a conduta ilícita. continuar lendo

''Por ora o sócio da JBS apenas pagou parte de sua dívida para com o BNDES, Lula e Dilma.''

Neste trecho fica claro o quão alienado o Sr. está. Na mesma delação, os irmãos Batista admitem o repasse de mais de 80 milhões em propinas para a Dupla Lula e Dilma, em contas do exterior. O Senhor realmente se dispôs a ouvir toda a gravação, ou só a parte que lhe conveio? continuar lendo

Sua teoria da conspiração ficou mais ficou mais fraca ainda, pois segundo a matéria abaixo ele o dono JBS disse que transferiu R$150 milhões para campanhas do Lula e da Dilma no exterior.

http://g1.globo.com/política/noticia/dono-da-jbs-diz-ter-transferido-us-150-milhoes-no-exterior-para-campanhas-de-lulaedilma.ghtml continuar lendo

Creio que alguns não leram direito ou, não entenderam meu comentário. São dois fatos distintos e que não se comunicam. O do Aécio que é de data bem anterior a esta gravação do Wesley que em nada se comunicam. Se alguém ouviu o presidente confirmar e anuir o crimes confessados pelo Wesley, ouviu otra gravação. É, inclusive, uma quetão de gramática e de capacidade cognitiva. Por outro lado, não é dever do presidente solicitar providências, mormente quando é uma conversa a dois, sem qualquer outra prova. Apenas um dos interlocutores gravou a conversa. O canalha. continuar lendo

Matheus, ou demais comentaristas. Tipifique para mim o crime contido neste seu comentário. Pode ser que eu tenha faltado nesta aula e você tenha ido. Desde quando o presidente da República tem poder de polícia e o dever de agir? Os doutores de plantão inovam direito. Vamos deixar o STF julgar. continuar lendo

Fernando e Wesley, se vocês tivessem lido e compreendido meu comentário não comentariam a bobagem que comentaram. continuar lendo

Nadir você é perfeito na sua avaliação, meus parabéns pois foi um dos poucos lúcidos a comentar o lamentável episódio é digo lamentável pois além de uma ação orquestradas para derrubar o presidente nada houve de crime ali e a renúncia ou impedimento desta vez sim é Golpe !!! Um grande abraço continuar lendo

O ideal, mas utópico, seriam as eleições diretas. Diante desta eminente impossibilidade, acredito que o melhor cenário seria o seguinte: Temer renuncia. Em seguida Maia assume temporariamente com a incumbência de convocar eleições indiretas. No entanto, Maia passa a figurar como réu em ação penal no STF, assim como o seguinte na linha sucessória, Renan Calheiros (Presidente do Senado), algo que é eminente, gerando o impedimento dos dois para assumir a presidência. Desta forma, a 4ª na linha sucessória assume, Min. Carmen Lúcia. continuar lendo

Eu prefiro a Carmen Lucia,até pq mal ou bem,não há acusação alguma contra ela.
O ideal seriam novas eleições,o problema é que não temos 1 candidato que preste.
Bolsonaro?Marina?Aécio?Lula?
Estamos ferrados. continuar lendo

Renan não assume mais nada, não é mais presidente do senado.
Carmem Lucia é jurista e não necessariamente política. Teria condição de governar o país?
O ideal, por pior que fosse, seria não ter acontecido essa delação e continuarmos a fazer de conta que Temer era uma boa pessoa.
As medidas até agora tomadas pela equipe econômica foram acertadas e as reformas, mesmo que impopulares, necessárias.
Temer perdeu a governabilidade e demoraria muito tempo, coisa que não temos, para se recompor.
Da mesma forma, um processo de impedimento seria demorado e o custo disso para todos nós, impensável.
Não visualizo outra saída mais rápida que renúncia de Temer e eleições indiretas e ainda assim contar com a sorte para que o eleito siga os passos de Temer e não o desejo de impunidade de grande parte dos congressistas.
Ou mal, ou pior. Bom, não será de forma alguma. continuar lendo

José, realmente, mas a mesma hipótese se aplica ao Eunicio Oliveira, não alterando em nada o cenário apontado. continuar lendo

Eleições diretas para quê? Para colocar o Lula na presidência novamente? Com certeza ele será candidato e vai ser eleito. Está muito claro que o PT está por trás dessa delação do Joesley Batista, com o objetivo claro de colocar o Lula na presidência. Aqueles que estão de acordo com o cenário 2 ou 3 porque o Michel Temer foi omisso, que indiquem um nome substituto ficha limpa, dentre os que HOJE têm chance de serem eleitos, e com capacidade de comandar o país. Quem quer o melhor para o país, NESTE MOMENTO, concorda com o cenário 1. continuar lendo